Início > Farmacos > Hidroxicloroquina > Farmacodinâmica

Farmacodinâmica

1. Local e mecanismo de ação: A ação do fármaco pode ser pela ligação à ferriprotoporfirina IX[1], de modo que forma-se um complexo de coordenação, que se ligaria aos fosfolipídeos localizados na membrana vacuolar dos esquizoítos, levando à peroxidação lipídica e posterior morte do parasito. Outra hipótese para o seu mecanismo de ação é a de inibição da ornitina descarboxilase pela intercalação da hidroxicloroquina entre os pares de bases do DNA, impedindo a biossíntese de poliaminas. O primeiro mecanismo apresentado corrobora a especificidade do fármaco pelo parasita, a segunda hipótese não explica tal especificidade.

 

2. Efeitos: O fámaco possui efeito antimalárico com ação esquizonticida e algum efeito gametocida, sendo também considerado um anti-reumático de ação lenta.

 

3.2.1. Reações adversas: Podem ocorrer casos de toxidade ocular com doses do fármaco superiores a 6,4 mg/kg/dia. Efeitos mais comuns são: cefaléia, prurido, estímulos psíquicos, erupções pleomórficas da pele. Outros efeitos tóxicos descritos são: dispepsia[2], náusea, vômitos, dores abdominais, anorexia, exantemas[3] e pesadelos. Outros órgãos podem ser afetados, o que provoca diversas alterações: leucopenia, anemia hemolítica (em pacientes com deficiência de glicose-6-fosfato desidrogenase), metemoglobinemia[4] (em pacientes com deficiência de NADH metemoglobina redutase), hipotensão, mudanças eletrocardiográficas e obnulação[5].

 

2.2. Contra Indicações e Precauções: Deve-se evitar o uso em pacientes com problemas visuais como na retina ou mudanças no campo visual, por provocar mudanças neste sistema. Não deve ser utilizado em pessoas com histórico de hipersensibilidade ao medicamento, quando o paciente apresenta psoríase ou porfiría.

Deve-se ter precaução em pacientes com lesão hepática, alcoolismo e pacientes com deficiência congênita da glicose-6-fosfato desidrogenase.

 

2.3. Interações medicamentosas: O fármaco pode aumentar os efeitos de um tratamento hipoglicêmico podendo ser necessária a adequação nas doses de insulina ou drogas antidiabéticas. Pode haver, também, interações com antiácidos que podem reduzir a absorção do fármaco. Sendo aconselhável a utilização dos dois medicamentos com intervalo de quatro horas.



[1] Grupo prostético de hemoglobina, mioglobina e certas enzimas.

[2]

[3]

[4]

[5]